Bairro mais na moda de Portugal festeja anos pela primeira vez

A 15 de Dezembro de 1513 foi dada autorização para a construção de habitações na Vila Nova de Andrade – o bairro que ali começou a serconcebido e que é hoje conhecido como Bairro Alto –, tendo sido os Andrade, uma família rica de origem galega, os primeiros a obterem autorização para um loteamento privado junto à muralha de Lisboa. 497 anos depois a associação de comerciantes propôes assinalar a data e organizou, com as Juntas de Freguesia da Encarnação e de Santa Catarina e a Câmara Municipal – através da Hemeroteca Municipal de Lisboa (HML) – um inédito programa de aniversário, que inclui, entre outros, percursos históricos, mostras de jornais e revistas da colecção da HML, animação de rua e um almoço de gentes do bairro no Café Luso.

São várias as iniciativas que estão hoje a decorrer, desde as 10h00 e que se vão prolongar até às 24h00, a maioria delas com um forte cariz histórico. O ponto de partida foi dado com a inauguração, na Sala do Espelho da HML, da mostra bibliográfica “O Bairro Alto no Fundo Histórico da Hemeroteca Municipal de Lisboa”. A exposição, aberta até 31 deste mês, reúne alguns jornais e revistas, com publicações periódicas dos séculos XVII, XIX e início do século XX.

Às 11h00 começou, na Hemeroteca, o primeiro percurso histórico do programa sob o tema Bairro Alto – Capital do Jornalismo Português. O passeio literário pelo bairro, considerado a “antiga capital do jornalismo português”, inclui passagens “pelas ruas das redacções de jornais e revistas já extintos”, intercaladas “com pequenas histórias sobre a vida dos periódicos”.

Às 15h00, é a vez de o percurso Ribeiro de Carvalho (1880-1942) – Da Escrita à Política ter início. Em foco, vai estar a vida do político e jornalista da I República, relacionando-a com os espaços do Bairro Alto. A participação nos roteiros é gratuita, mas sujeita a inscrição prévia, que pode ser efectuada até à altura do evento.

Também as duas visitas de Estudo que vão decorrer hoje estão sujeitas a inscrição prévia. A primeira, denominada As Ruas Têm Nome – Ler a Toponímia, começa às 15h00 e “consiste numa visita guiada pelas ruas do Bairro Alto”, durante a qual “os participantes poderão percorreras ruas do bairro para perceber o contexto histório da sua toponímia”, lê-se no programa.

Já a segunda, inicia-se às 17h00 e tem como objectivo dar a conhecer os recursos informativos incluídos na HML, localizada em pleno Bairro Alto, a professores e alunos das escolas básicas e secundárias.

O ponto de encontro das visitas de estudo é, tal como o dos percursos históricos, na Hemeroteca.

Do programa do Dia do Bairro Alto, faz ainda parte uma conferência, com início às 18h30. A actividade, sob o tema “Bairro Alto: Capital do Jornalismo na I República”, vai decorrer na Sala do Espelho da HML e está a cargo de Álvaro Costa de Matos. A iniciativa decorre depois de ser inaugurada na Galeria Somafre, Travessa da Queimada, às 18h00, uma mostra fotográfica intitulada “O Bairro Alto de Hoje e no Início do Século XX”, com documentos do Arquivo Fotográfico.

O dia termina com animação de rua pelo Bairro Alto, que vai dcorrer entre as 20h00 e as 24h00, a cargo da orquestra Nema Problema e da responsabilidade da Associação de Comerciantes do Bairro Alto. Já as juntas de freguesia da Encarnação e de Santa Catarina fazem parte da organização do almoço que será oferecido pelo Café Luso.

Texto de Cristina Alves

Deixar uma resposta