Aurea faz Noite de Soul no CCB

aurea_01Reportagem de Tânia Fernandes e António Silva

Descalça, a admitir algum nervosismo, mas segura. O Grande Auditório do CCB recebeu as Soul Notes queÁurea tem andado a espalhar pelo mundo.

Casa cheia, alinhamento certinho, a cantora portuguesa foi apresentado as canções, fazendo para muitas delas, apontamentos sobre as vivências e emoções que estiveram na sua origem.

“Há alguém aqui que nunca se tenha apaixonado? Nem que tenha sido por uma só vez na vida?” Ninguém levantou o braço e Área introduziu “I’m in love for the first time”. “Nothing Left to Say” foi o mote para abordar relações que chegam a um ponto em que os laços de comunicação se perdem.

O público foi acompanhando as canções, mais efusivamente nas tão esperadas “Scratch my Back”, “Busy for Me”, “If you’re Good to Me” ou “I’m Okay, I’m Alright” em que Aurea pediu a participação ativa de todos.

Tempo ainda para dedicatórias e agradecimentos aos presentes, num diálogo constante com a plateia. Para além dos seus êxitos, apresentou ainda versões de temas conhecidos como “Be my Baby” (Dirty Dancing), “Stand by Me” e “I Feel Good”.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Ana Stillwell estreou-se em público, durante a primeira parte da noite. Voz doce, temas suaves e alegres, cantados em inglês, com ambientes folk e country. Uma versão de “Ain’t No Cure For Love” do Leonard Cohen ampararam uma plateia que recebeu com simpatia este novo talento emergente.

Deixar uma resposta