As Possibilidades de Howard Barker em Cena em Almada

as_possibilidades01Reportagem de Tânia Fernandes e António Silva

A peça As Possibilidades, de Howard Barker, estreia este sábado, pela Companhia de Teatro de Almada. São dez os quadros que compõe a estória e ainda que se trate de tempos, lugares e personagens distintos, sem ligação entre si, a violência extrema, o terrorismo e o conflito atravessam todos os momentos. Episódios desconcertantes que refletem o extremismo da condição humana.

O autor, Howard Barker, alimenta um estilo muito próprio, que apelidou de “Teatro da Catástrofe”. Assume forte influência da tragédia grega, mas vai além, numa vertente mais cruel. Nem tudo fica bem quando acaba. Não há uma resolução justa ou equilibrada. O resultado é o que tiver de ser e cabe também ao espetador um pouco a missão de escolher o seu herói ou tomar o seu partido. Um terrorista é também alguém que luta pela sua liberdade, assim como o agressor será em algum momento um oprimido. Antagonismos que vão estando presentes ao longo de toda a peça, prontos a surpreenderem.

Logo na primeira cena, encontramos um grupo de tecelões a fazer um tapete, enquanto se ouvem explosões de guerra à volta, cada vez mais próximas. Eles não param de trabalhar, na esperança de chegarem a um futuro próximo, em que esse tapete lhes vai permitir obter alimento e consequentemente a sobrevivência. No entanto a opinião não é unânime. E só em equipa o trabalho resulta. Há situações verdadeiramente chocantes como a descrição de uma meada tingida de sangue, “um vermelho de um colorido nunca antes visto”.

Outra violência que não a física chega-nos através do discurso de uma prostituta que se prepara para sair à rua ou de uma funcionária que “ousou” usar uma indumentária em que exibe os tornozelos. A resolução dos dilemas colocados, nem sempre é pacífica. Ou consensual. Mas é mesmo esse o propósito deste autor. A provocação, ao abordar temas controversos como a repressão sexual, a vingança, a repressão, a tortura ou o terrorismo. Um absurdo por vezes tão extremo que chega a tocar o ridículo.

[satellite auto=on caption=off thumbs=on]

As Possibilidades tem encenação de Rogério Carvalho e conta no elenco com Alexandre Silva, Ana Água, André Alves , Beatriz Wellenkamp Carretas, Cátia Terrinca, Cleonise Tavares, Daniel Viana, Joana Campelo, João Farraia, José Redondo, Miguel Valle, Nádia Yracema, Nuno Filipe Fonseca , Pedro Walter, Sofia Vitória, Vicente Wallenstein e Welket Bungué.

A peça vai estar em cena no palco da Sala Principal do Teatro Municipal Joaquim Benite, de 9 a 31 maio, de quartas-feira a sábado, às 21h30 e aos domingos às 16h00. Os bilhetes custam entre 6 e 13 euros e pode também combinar o espetáculo com jantar pelo valor de 14 euros.

Deixar uma resposta