Fortificações de Elvas foram classificadas como Património Mundial pela Unesco

A classificação engloba a maior fortificação abaluartada do mundo, bem como todas as fortificações da cidade, entre os quais, o Forte de Santa Luzia do século XVII e o Forte da Graça do século XVIII. Também os três fortins do século XIX, as três muralhas medievais e o Aqueduto da Amoreira estão contemplados.

O conjunto de fortificações de Elvas, cuja fundação remonta ao reinado de D. Sancho II, é o maior do mundo na tipologia de fortificações abaluartadas terrestres e constituem o único monumento português entre os 33 candidatos que fazem parte da lista de Património Mundial, elaborada pela Unesco. 

 “Esta classificação é um justo reconhecimento não só pela singularidade e conservação das fortificações, mas também pela candidatura apresentada à Unesco pela Câmara de Elvas. O concelho está de parabéns, assim como todo o Alentejo”, afirma António Ceia da Silva, Presidente da Turismo do Alentejo, ERT.  “A Turismo do Alentejo felicita o dignificante trabalho da autarquia e da equipa técnica responsável pela candidatura que resultou numa classificação, extremamente, importante para o desenvolvimento turístico da Região. Com a classificação atribuída às Fortificações de Elvas – e depois do Centro Histórico de Évora – o Alentejo conta agora com dois títulos de Património Mundial, o que permite aos operadores turísticos criar rotas entre as duas cidades e até mesmo com a extremadura espanhola, nomeadamente com Cáceres ou Mérida”, adianta o mesmo responsável. 

Texto de Clara Inácio

Deixar uma resposta