Arranca hoje a 18.ª edição do Festival Paredes de Coura

Na última década, o festival Paredes de Coura tem-se afirmado como um certame especialmente dedicado à comunidade indie. Grande parte dos artistas em cartaz pode não ser ainda conhecido do grande público, mas já “reina” entre os ouvintes das músicas mais alternativas. E este ano a ideologia mantém-se firme, já que na 18.ª edição o Paredes de Coura vai receber 18 estreias absolutas em Portugal. O festival começa hoje com a recepção ao campista e segundo a organização já tem garantidas cerca de 20 mil pessoas por dia.

Todavia, entre todas essas estreias em palcos nacionais nem todas serão da responsabilidade da última grande novidade da música indie. Os veteranos do ska The Specials vão celebrar 30 anos de carreira no último dia do certame, sábado, num concerto que marca a estreia do grupo em Portugal. O regresso aos anos 80 continuará com Peter Hook, ex-baixista dos New Order e dos Joy Division, e que na sexta-feira vai tocar na íntegra o primeiro álbum dos Joy Division, Unknown Pleasures.

Outro nome bem conhecido dos portugueses é o dos Prodigy, um dos cabeças de cartaz de sábado, que ainda no ano passado transformaram o recinto do Optimus Alive! numa verdadeira rave. Não menos conhecidos são os The Cult, veteranos do hard rock da década de 80, liderados por Ian Astbury, que em tempos chegou a andar em digressão com os “reunidos” The Doors.

São no entanto algumas das bandas mais destacadas da cena indie internacional que dominam o cartaz. Os nomes que actuam amanhã, dia de recepção ao campista, comprovam-no. Da Califórnia e com um primeiro álbum ainda por editar em Portugal, Crazy for You, chegam os Best Coast, trio fiel à cultura lo-fi que recupera a sensibilidade pop das girl bands dos anos 60 com muita distorção rock pelo meio.

Também fiel à baixa fidelidade, mas com a pop electrónica dos anos 80 na memória, vem Dayve Hawk, que actua também amanhã, com o projecto Memory Tapes.

Na quinta-feira, a cultura lo-fi estará representada pelas Vivian Girls, dia em que regressa a Portugal o canadiano Caribou, já vencedor de um prémio Polaris e que vem apresentar Swim, disco de pop psicadélica que é um dos mais elogiados do ano.

Já os Klaxons, um dos maiores fenómenos da indie pop britânica dos últimos anos, fecham o palco principal na sexta-feira. Este ano, o festival quer ainda reforçar a sua aposta no público da vizinha Espanha, com o palco Iberosounds by Coruña, que tem o patrocínio da Junta Metropolitana da Corunha.

O preço dos bilhetes para o festival varia entre os 40 euros (para um dia) e os 70 (com direito ao parque de campismo, disponível até 1 de Agosto).

Por Cristina Alves
Foto Sara Santos

Cartaz Completo

28 de Julho – Dia da Recepção ao Campista: Los Campesinos!, Memory Tapes, Best Coast, Cosmo Jarvis e Isidro LX.

29 de Julho: The Cult, Caribou, Enter Shikari, Gallows, Eli Paperboy Reed e Vivian Girls.

Palco After-Hours: We Have Band e DJ Coco.

Palco Iberosounds by Coruna: Lost Park e Nouvelle Cuisine.

Jazz na Relva: José Valente e Experiences of Today.

30 de Julho: Klaxons, White Lies, Peter Hook performing “Unknown Pleasures”, The Courteeners, Paus e The Tallest Man on Earth.

Palco After-Hours: Plus Ultra e Mega Bass.

Palco Iberosounds by Coruna: Boat Beam e Madame Godard.

Jazz na Relva: Zelig.

31 de Julho: The Prodigy, The Specials, Mão Morta, Jamie T, The Dandy Warhols e Os Dias de Raiva.

Palco After-Hours: Dum Dum Girls e Os Yeah.

Palco Ibersounds by Coruna: Triangulo de Amor Bizarro e Samuel Úria.

Palco Jazz na Relva: Barbez.

Deixar uma resposta