Arqueologia de Oeiras patente ao público na Fábrica da Pólvora de Barcarena

A Câmara Municipal de Oeiras apresenta a exposição  Arqueologia do Concelho de Oeiras, na Casa do Salitre da Fábrica da Pólvora de Barcarena. A cerimónia de inauguração incluiu o lançamento do livro Arqueologia do Concelho de Oeiras, do Paleolítico Inferior arcaico ao século XVIII, da autoria do professor doutor João Luís Cardoso responsável pela coordenação desta exposição e que tem como objectivo ilustrar o passado humano da ocupação do actual território oeirense, desde o Paleolítico Inferior arcaico até ao século XVIII, com base nos testemunhos materiais até agora recuperados do solo.
A exposição apoia-se em materiais arqueológicos resultantes sobretudo de recolhas e de escavações arqueológicas efectuadas sob a égide do Centro de Estudos Arqueológicos, a que se somam exemplares resultantes da oferta de particulares ou de entidades oficiais, como a Câmara Municipal da Amadora. É ainda de destacar a existência de um importante acervo exposto resultante de depósito de longa duração efectuado ao abrigo de protocolo assinado em 2008 entre a Câmara Municipal de Oeiras e o Museu Nacional de Arqueologia.

A acompanhar a exposição vai estar o catálogo, também da autoria do Professor Doutor João Luís Cardoso,  ilustrado com reproduções das principais peças do espólio, tendo em vista o respectivo enquadramento cronológico, social, económico e cultural do registo material exposto, ao longo das sucessivas épocas representadas.

A exposição destina-se a um público alargado, desde a população escolar, muito especialmente a residentes no Concelho, aos investigadores e especialistas em história local, passando por todos os interessados ou simples curiosos, com vontade em conhecer um pouco melhor o passado mas longínquo do actual concelho de Oeiras.

A Exposição vai estar patente, de segunda a sexta-feira, das 14h00 às 17h00, sob a supervisão do Centro de Estudos Arqueológicos do Concelho de Oeiras.

Texto de Margarida Vieira Louro
Fotos gentilmente cedidas pela Câmara Municipal de Oeiras

Deixar uma resposta