Anuário Turismo 2010 lançado hoje em Lisboa

“O turismo português poderá crescer três por cento em 2010, relativamente a 2009 – que foi um ano “muito mau” para o sector –, um crescimento quer em termos de receitas geradas por turistas estrangeiros como por portugueses que fazem turismo no país. No entanto, este valor não será suficiente para recuperar as receitas alcançadas antes da crise económica”.

Este foi o cenário traçado hoje pelo presidente do Instituto do Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), António Jorge Costa, no dia em que o organismo apresentou, no Casino Lisboa, o anuário O Turismo em 2010, que apresenta os resultados do Barómetro Academia do Turismo sobre as perspectivas de crescimento do sector em Portugal, realizado a um painel composto por mais de uma centena de decisores do turismo nacional.

A revista O Turismo em 2010 é da responsabilidade do Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT) e, pelo quarto ano consecutivo, chega às bancas com o Alto Patrocínio da Presidência da República. Tendo como temas centrais o turismo verde e o desenvolvimento sustentável do sector, este anuário projecta as grandes tendências do sector, à escala nacional e global, contando com a colaboração de investigadores internacionais.

Nesta edição são apontados os caminhos para a adopção de comportamentos e valores sustentáveis por parte das entidades do sector, destacando as melhores práticas a este nível. António Jorge Costa destaca que, segundo a apreciação dos especialistas que colaboraram nesta edição, “a grande aposta do sector para 2010 deverá também passar, em grande parte, pela promoção nos mercados internacionais”.

Bernardo Trindade, secretário de Estado do Turismo, que, há semelhança do que tem acontecido nas últimas edições, é responsável por um artigo de opinião no anuário, esteve presente na apresentação da Turismo em 2010 e congratulou esta iniciativa já que, “nunca como agora, reflexões e análises sobre o passado recente e as perspectivas futuras assumiram tanta relevância, mas também, nunca como agora é difícil e quase impossível prever com segurança a evolução e o momento para a recuperação da economia”.

Para o titular da pasta do turismo, uma coisa é certa: “Se Portugal tiver a capacidade de perceber a importância de ter um produto mais sustentável, sairá beneficiado perante os destinos concorrentes”.

O anuário integra também um dossiê especial dedicado ao Turismo do Douro, região considerada pela National Geographic Society o sétimo melhor destino europeu para o Turismo sustentável. A estratégia de promoção além-fronteiras deste destino turístico de excelência é analisada por personalidades da região.

Ao longo de uma centena de páginas, O Turismo em 2010 conta com a opinião de alguns dos melhores especialistas e investigadores internacionais ligados ao sector, como Taleb Rifai, secretário-geral da Organização Mundial do Turismo (OMT), e Stephan Semsch, director-geral da Lufthansa Portugal e Espanha, entre outros.

O Turismo em 2010 estará à venda a partir da próxima semana nas lojas FNAC de todo o país.

Por Cristina Alves
Foto de Elsa Furtado

Deixar uma resposta