Antígonas, a tragédia clássica com as diferentes faces do amor

O grupo de Teatro da Universidade Técnica de Lisboa (TUT) leva a cena Antígonas, a tragédia clássica que enaltece as diferentes faces do amor. Numa criação a partir da fusão de textos de Sófocles, Jean Anouilh, Bertolt Brecht e Maria Zambranona. Em palco, sob encenação de Júlio Martin da Fonseca, reúnem-se 30 atores compostos na sua maioria por alunos universitários, contando ainda com alguns professores e investigadores.

Uma vela que emite uma luz ténue ilumina a procura por Antígona. A morte e o amor cruzam-se ao longo de toda a peça que se inicia quando Antígona ousa desafiar a lei para enterrar o seu irmão, mas é apanhada.

O encadear de situações que se desenrolam em torno do amor carnal, o amor fraternal e o amor paterno e que terminam, como não poderia deixar de ser na verdadeira tragédia grega, num suceder de mortes.

A rotatividade dos actores promove o dinamismo entre as cenas, ajudando a marcar momentos distintos na história e transmitindo simultaneamente, angustia, desorientação e o desespero que invadem as diversas personagens.

Depois do Teatro do Bairro, Antígonas segue para o Palácio de Burnay com sessões nos dias 25, 26 e 27 de Maio, às 21h30. Para mais informações contacte a reitoria da Universidade Técnica de Lisboa.

Reportagem de Vania Marecos (texto e fotos)

 

 

Deixar uma resposta