Annie estreia no Porto com promessa de muitas emoções

Depois de Dorothy, Annie é a menina que se segue no Palco do Rivoli, no mais recente espectáculo produzido por Filipe La Féria.

Quem não se lembra da pequena órfã, de cabelo ruivo e de feitio endiabrado, que vivia num orfanato, e acreditava que o “sol iria aparecer amanhã”? Um desejo realizado quando um dia, ela é escolhida para passar uma semana com o famoso multimilionário Warbucks.

Devido à sua personalidade, Annie conquista o velho senhor e a estadia prolonga-se para sua alegria e despeito da preceptora do orfanato, que vai tentar impedir a felicidade de Annie a todo o custo.

Uma peça cheia de valores sociais e morais, cuja acção decorre nos Estados Unidos, no final da década de XX. “Annie” é passada na grande depressão americana. É um hino à tolerância, ao amor e aos grandes valores da vida e da humanidade.”

Inicialmente publicada em banda desenhada com o título Little Orphan Annie, o sucesso das aventuras da jovem órfã  depressa levaram a que a história fosse adaptada ao teatro nos anos 70 (primeiro na Broadway em Nova Iorque e depois no West End Londrino)  e finalmente ao cinema, na década de 80.

Para levar a cena o musical, Filipe La Féria juntou em palco um conjunto de actores, músicos e bailarinos, quase todos originários da região do Porto e Gaia, com Noémia Costa à frente de um elenco de 84 artistas, no papel de Miss Hannigan (a perceptora), Rui Mello no papel do milionário Warbucks e no pape de Annie Leonor Plácido e Adriana Paquete (escolhidas entre 400 crianças num casting muito concorrido), compõe ainda o elenco 24 crianças no papel das órfãs companheiras de Annie.

A encenação e direcção artística é mais uma vez da responsabilidade de Filipe La Féria, a direcção musical de Carlos Meireles e Rodolfo Cardoso e a coreografia Inna Lisniak.

A peça que Lisboa viu em 1984, no Teatro Maria Matos, com Nicolau Breyner no papel do milionário e com direcção de Armando Cortez, pode agora ser vista no Porto, com o toque especial de Filipe La Féria, naquela que promete vir a ser, mais uma grande encenação do criador e autor alentejano, com a promessa que  “o sol aparecerá amanhã…”.

Annie vai estar em cena no Rivoli de terça a sábado, às 21h30 e aos sábados, domingos e feriados às 17h00.  O preço dos bilhetes varia entre os 10 euros (para o 3º balcão) e os 30 euros (cadeiras de orquestra e 1º balcão).

Por Elsa Furtado
Foto de Filipe La Féria por Francisco Lourenço
“Annie”, Musical no papel de Rooster Hanningan – Dir. de Armando Cortês e Angel Yusta.

Deixar uma resposta