Alice Vieira lança Os Profetas o seu primeiro romance não juvenil

Depois de vários anos a escrever para os mais pequenos Alice Vieira edita agora Os Profetas, o seu primeiro romance não juvenil, com a chancela da Caminho, e que foi ontem apresentado em Lisboa, na livraria Bucholz, com apresentação de Sérgio Luís de Carvalho.

O romance tem por base fatos reais, e nele Alice Vieira recria a Lisboa quinhentista, cidade cosmopolita, que vive de braço dado com o terror da Inquisição, da heresia e do temor a Deus, e relata de forma vívida os antecedentes e a exaltação da pregação, os tormentos e mortes infligidos pelas autoridades.

Os Profetas levam o leitor até ao ano 1533, à ilha de Porto Santo, onde um homem chamado Fernão Nunes e uma sobrinha sua, Filipa Nunes declaram-se profetas, inspirados pelo Espírito Santo. Ao fim de dezoito dias os hereges foram presos, levados para a vila de Machico e depois enviados para Évora.  Este episódio é relatado na obra de Gaspar Frutuoso, Saudades da Terra, historiador e humanista açoreano.

Os leitores que queiram partilhar o lançamento deste livro com a autora podem dirigir-se no dia 28 de outubro, às 18h30, na Leya na Pretexto/Viseu, dia 3 de novembro, às 18h00 na Leya /Funchal, dia 11 de novembro, às 18h30 na Leya na Caminho/Santarém e dia 16 de Dezembro, às 18h30 na Leya na Barata/Lisboa.

Alice Vieira nasceu em 1943 em Lisboa. É licenciada em Germânicas pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Em 1958 iniciou a sua colaboração no suplemento «Juvenil» do Diário de Lisboa e a partir de 1969 dedicou-se ao jornalismo profissional. Desde 1979 tem vindo a publicar regularmente livros. Recebeu em 1979 o Prémio de Literatura Infantil Ano Internacional da Criança com Rosa, Minha Irmã Rosa; em 1983, com Este Rei que Eu Escolhi, o Prémio Calouste Gulbenkian de Literatura Infantil; e em 1994 o Grande Prémio Gulbenkian, pelo conjunto da sua obra. Foi indicada, por duas vezes, como candidata portuguesa ao Prémio Hans Christian Andersen. Foi igualmente apresentada por duas vezes como candidata ao ALMA (Astrid Lindgren MemorialAward). Além de escrever regularmente para a imprensa, é também autora de dois livros de poesia, de várias coletâneas de crónicas e de livros de ficção escritos em colaboração.

Texto de Clara Inácio
Foto C&H

Deixar uma resposta