O Bando apresenta Ainda não é o Fim

Teatro o bando apresenta Ainda não é o fim, de 18 a 26 de Maio, em Palmela e depois em Lisboa.

Mães e filhos ocupam as ruas de uma cidade. Procuram as raízes da história e as estórias da revolução. Procuram conhecer essa Primavera que lhes escapou, essa Primavera pura e idílica que ainda sonham, essa Primavera humana e destroçada que vislumbram. Trazem anedotas, gritos e boatos. Trazem freios nos dentes, cangas às costas, baldes e sonhos, promessas de destinos desconhecidos. Conhecem o peso dos sacrifícios e, como todos nós, tanto se entusiasmam e libertam como desistem e aprisionam.

A encenação é de João Brites, com composição musical de Jorge Salgueiro, com a interpretação ao vivo da Big Band Loureiros, oscilando entre o estrondo e o sussurro, num texto repleto de ironia e acutilante de Manuel António Pina. A interpretação está a cargo de Ana Lúcia Palminha, Bruno Huca, Clara Bento, Guilherme Noronha, Paula Só, Raúl Atalaia e Sara de Castro. Os músicos são Abilio Coelho, André Banha, André Cabiça, Filipe Cordeiro, João Barreiros, João Reisinho, José Canha, Luís Santos, Marisa Borralho, Paulo Fragoso e Rodrigo Bispo.

Ainda não é o fim (Nem o princípio do mundo calma, é apenas um pouco tarde), de 18 a 26 de Maio, em Palmela, no Largo D’El Rei D. Afonso Henriques, às sextas e sábado, às 21h30. A entrada  é  livre de 31 de Maio a 10 Junho, em Lisboa, em local a definir, de  quinta a domingo, às 21h30.

 Texto de Clara Inácio

Deixar uma resposta