"Aida" em digressão em Portugal pela ópera de Kazan

Aida, uma das mais famosas óperas de Verdi, famosa pela sua grandiosidade, vai estar em digressão por Portugal, até dia 12 de Abril, numa produção da Grande Ópera de Kazan.

Aida conta a história de uma princesa Etíope , que é apaixonada por Radamés, um general egípcio que está comprometido com a princesa Amnéris. Numa época governada por faraós, entre guerras e intrigas, e na qual os desejos dos deuses só eram superados pelos desejos dos homens, os dois amantes são impedidos de ficarem juntos em vida, unindo-se apenas na morte.aida12

Cenários grandiosos que remontam para o Antigo Egipto, figurinos luxuosos, um elenco grandioso e uma orquestra de grande qualidade, caracterizaram a produção apresentada entre nós.

A ópera dramática, é composta por quatro actos, destacando-se naturalmente o segundo, onde acontece o cortejo da vitória junto ao Templo de Amon e a cena final do último acto, no túmulo de Radamés, onde finalmente os amantes ficam juntos para sempre.

aida13

A música é da autoria de Giuseppe Verdi, com libreto de Antonio Ghislazoni, foi encomendada pelo governo do Egipto, para celebrar a inauguração do Canal do Suez.

A companhia da ópera de Kazan foi fundada em 1939 e reúne artistas, cantores, bailarinos, encenadores, orquestra, maestros e técnicos oriundos de várias partes do antigo Império Soviético, como o Teatro Bolchoi em Moscovo ou o Teatro Marinsky em St. Petersburgo, só em Aida participam cerca de 200 pessoas.cartaz_aida

A digressão começou em Lisboa, no Coliseu dos Recreios, na passada quinta-feira, dia 2, às 21h30, sala para onde foram agendados os três primeiros espectáculos. No domingo dia 5, é a vez do Teatro Gil Vicente em Coimbra, seguindo-se o Coliseu do Porto, nos próximos dias 7 e 8.

Dia 9 é a vez do Teatro Circo de Braga, dias 10 e 11 o Teatro das Figuras em Faro, incluída na programação da 21ª edição do FIMA (Festival Internacional de Música do Algarve) e finalmente no domingo de Páscoa, dia 12, o Pavilhão do Arade em Portimão, numa actuação que encerra a passagem da companhia russa por terras lusas.

fotografias cedidas pela da produção

Deixar uma resposta