Adega Mayor apresentou novo vinho na 2ª edição das “Wine Talks”

A Adega Mayor apresentou ontem à tarde em Lisboa o seu novo vinho, o Pai Chão, colheita de 2008, numa apresentação integrada na segunda edição das “Wine Talks”, desta vez dedicadas às artes e a decorrer na Galeria da Boavista, em Santos, até amanhã dia 26 de Maio.

O novo vinho apresenta-se como um tinto encorpado, cheio, com sabores intensos a frutos pretos, madeira, chocolate preto, tabaco, e é considerado pela Adega como um vinho de exceção, cuja produção só é possível em anos afortunados, sendo, também uma homenagem da Adega Mayor à paixão do seu fundador, o comendador Rui Nabeiro.

As “Wine Talks & Arts” apresentam pela primeira vez obras da autoria de 11 artistas portugueses, como Aka Corleone, Arm Collective, Filipe Rebelo, I’m from LX, João Retorta, Kruella D’Enfer, Lara Portela, Maria Imaginário, Miguel Januário, Pixelejo e Tâmara Alves, que responderam ao repto lançado pela adega e produziram obras em que o vinho era o tema, tal como a sua relação com as artes.

Paralelamente decorrem também várias atividades como workshops de arte (stencil, stickers e personalização de garrafas), provas de vinhos, workshops específicos para escolas e debates, como o de ontem à tarde.

No debate de terça-feira, estiveram presentes Rita Nabeiro – em representação da Adega Mayor, a enóloga Rita Carvalho, a historiadora de arte Sílvia Câmara, o critico de vinhos Fernando Melo, o artista plástico Miguel Januário e o antropólogo Ricardo Campos, que debateram a relaç\ao entre a arte e o vinho.

O debate abordou, pelas diversificadas vertentes dos oradores, questões como a ética e estética, quer na produção artística, quer na produção vinícola, a dimensão da autoria quer na arte quer na produção do vinho, finalizando, com a análise da emergente  geração que adopta o  “graffiti”  como expressão artística e pessoal, quer na vertente “ilegal” quer numa perspectiva  já institucionalizada.

Sílvia Câmara fez uma exposição, assessorada em projecção de imagens, da evolução da abordagem do vinho na escultura, pintura e design, ao longo dos séculos.

A segunda edição da iniciativa termina já amanhã, dia 26, mas está já prometida uma terceira edição, neste ano tão especial para a família Nabeiro, que assinala 50 anos de vida da Delta Cafés.


 

Por Rui de Albuquerque Inácio
Fotos de Elsa Furtado e Rui de Albuquerque Inácio

 

Deixar uma resposta