A MONSTRA volta a atacar Lisboa

Por Sara Peralta

A MONSTRA – Festival de Animação de Lisboa dá cor ao Museu da Marioneta a partir de hoje, e estará à solta de 19 a 25 de março para animar Lisboa com uma diversificada programação nesta edição onde a Alemanha é o país convidado.

Com um programa com mais de 100 filmes, a MONSTRA exibirá obras dos anos 20 à atualidade numa retrospectiva germânica, curtas-metragens em competição (internacional, portuguesa, de estudantes, e curtíssimas) apresentando pela 1ª vez um prémio para melhor filme português, uma retrospetiva nipónica, várias estreias, a monstrinha, e diversas actividades paralelas. Com o melhor do que se faz no mundo da animação, a Monstra espalha-se por vários espaços da cidade trazendo-nos filmes de diversos países, sessões para os mais pequenos, exposições, espectáculos multifacetados, e acções de formação.

A homenagem deste ano a “um país com uma das mais antigas tradições de cinema de animação” presenteia-nos com nomes consagrados da cinematografia alemã, e por entre filmes de variadas temáticas e épocas, convida a mergulhar no seu universo animado, dividindo-o nos temas Música e Coreografia, A vida das coisas, Viajantes do tempo e espaço, Sátira, Alemanha Internacional, Programação infantil – Aventureiros, e nas Retrospectivas de Raimund Krumme, Lotte Reiniger e Bruno Böttge.

Mais uma vez celebra-se igualmente a animação oriental, com a exibição de Ghost in the Shell II (um manga de Mamoru Oshii), Winter Days (homenagem a Kihachiro Kawamoto), e retrospectivas de Isao Takahata (realizador de Grave of the Fireflies e My Neighbours the Yamadas) e Noriko Morita.

Em ano par, a competição é dedicada às curtas-metragens, e o festival alberga as competições nacional e internacional, de estudantes, e “curtíssimas” (com filmes até dois minutos), atribuindo diversos prémios. Pela primeira vez, a SPAutores associa-se na criação de um novo prémio: o Prémio SPA/ Vasco Granja, que irá galardoar o melhor filme português em competição premiando o vencedor com 5000€.

A Monstra 2012 conta com estreias nacionais e mundiais e apresenta as últimas obras da cinematografia portuguesa, com destaque para as estreias de Compositio 3, filme-performance baseado na estética da Bauhaus (num encontro entre 6 arquitectos e 2 performers) e A Fábrica (2ª parte do espectáculo estreado na passada edição), perfomance coreografada por Marina Frangioia com animação de Tiago Albuquerque, bem como os doze filmes que farão a sua estreia concorrendo ao novo prémio.

A Monstrinha continua a ser parte fundamental do festival, com sessões infantis em diferentes espaços, recheada de curtas e longas alemãs e alguns filmes históricos do cinema, e com a oficina Animated Post-Its. Em comemoração do 70º aniversário de Bambi, a Monstra associa-se ao Tróia Resort, que irá projectar o filme no sábado dia 24, convidando os espetadores a integrarem um sábado em família que ligará um clássico Disney a uma acção de sensibilização ambiental, com transporte gratuito providenciado pela organização para quem se deslocar a partir de Lisboa.

Como não poderia deixar de ser, o festival traz a Lisboa uma série de convidados para encontros com o público e actividades de formação. Haverão cinco masterclasses – entre elas Tudo o que sempre quis saber para concorrer ao Óscar, mas nunca perguntou conduzida por Ron Diamond, membro da academia de Hollywood -, e três workshops (sobre som e música para cinema de animação, “generative animation” e “drawing and motion”).

Nas actividades paralelas destacam-se também os espetáculos, com Light Ahead (Noriko Morita) e 49 Files (Pierre Hébert) a juntarem-se aos dois nacionais já referidos, e as exposições gratuitas, com uma excelente selecção de marionetas em Marionetas de Animação (maravilhando-nos com a diversidade de estilos do antigo estúdio DEFA, em onze cenários diferentes onde cada vitrine documenta o processo de criação de uma marioneta) e o projecto [RE]Animar (interpretação contemporânea do Zootrópio num exercício para novas formas de explorar este dispositivo óptico dos primórdios do cinema, aliando a animação à reciclagem), ambos no Museu da Marioneta de 1 de Março a 25 de Abril, bem como a exposição de homenagem a José Abel no átrio da Fundação Gulbenkian e vitrines do Cinema São Jorge. Em parceria com a Gulbenkian realiza-se ainda um ciclo dedicado ao Cinema de Animação e Música.

A MONSTRA cresceu já de 2 mil para 40 mil espectadores, apostando na exigência artística e diversidade programática, e estará este mês mais uma vez à solta em Lisboa animando o Cinema São Jorge, Cinema City Alvalade, Fnac, Fundação Calouste Gulbenkian, e Museu da Marioneta.

Os bilhetes para as sessões custam 4 euros,  3,5 euros com descontos e 1 euro para escolas. As sessões Monstrinha Escolas são gratuitas e serão ainda disponibilizados vouchers de 10 bilhetes a preço reduzido.

Deixar uma resposta