4ª Edição Do Festival Forte Decorre De 24 A 26 De Agosto EM Montemor-o-Velho

A 4ª edição do Festival Forte decorre de 24 a 26 de agosto de 2017, no Castelo de Montemor-o-Velho.

A edição de 2017 do festival que aposta nas novas tendências da música electrónica contemporânea, conta com a presença de Jeff Mills, Blawan, Dasha Rush e Ron Morelli.

Jeff Mills é a figura mais importante de toda a cultura de música de dança. Criador há 25 anos da Axis Records, a primeira editora da aclamada música electrónica de Detroit. Nascido em 1963, foi elemento fundador do colectivo Underground Resistance ao lado de ‘Mad’ Mike Banks no final dos anos 80 enquanto apresentava o seu próprio programa de rádio nas estações WDRQ e WJLB. O seu génio veio a revelar-se em plenitude ao exibir a sua técnica ao serviço do gira-discos. The Wizard, deslumbrava na arte da mistura a alta velocidade, resultando em sessões onde discos voavam a um ritmo alucinante.

Ao maestro da música electrónica contemporânea junta-se o jovem britânico Nathan Fake, que apresenta o seu novo LP em Março, Providence, pela distinta Ninja Tunes. Nathan estreou-se em 2003, com apenas 21 anos, pela mão de James Holden, detentor da icónica Border Community, tendo sido aclamado ao longo dos últimos dez anos como um dos mais brilhantes produtores pela crítica internacional. No Festival Forte Nathan Fake apresenta o seu novo álbum ao vivo, acompanhado pelo espectáculo audiovisual especialmente criado por Matt Bateman, que foi responsável por espectáculos ao vivo de artistas como LFO, Jon Hopkins e Clark.

Jamie Roberts é Blawan, que se destaca por sonoridades explosivas, percussões vivas e mudanças de estilo inesperadas. Fanático por modulares, com inúmeras edições em nome próprio e em projectos colaborativos como Karenn e Trade, Jamie gere actualmente a sua editora Ternesc. Uma figura icónica que representa a nova geração da música electrónica.

Dasha Rush, uma das mais mediáticas produtoras femininas do actual panorama, tem a seu cargo sonoridades mais experimentais e sintetizadas. O americano DVS1 e o espanhol Oscar Mulero, duas figuras representativas da electrónica mais obscura, merecidamente, regressam ao castelo em 2017. De volta aos anos 80, é tempo de conhecer o francês Laurent Prot, mais conhecido como In Aeternam Vale que lançou as bases para o techno industrial e que faz no Festival Forte uma das suas raras aparições em festivais este ano.

Ron Morelli é o mentor da editora L.I.E.S. (Long Island Electrical Systems), fundada em 2010, sediada em Brooklyn, Nova Iorque, que é actualmente uma das editoras mais conceituadas no mundo mais estranho da música electrónica contemporânea a par com a Hospital. O britânico Shifted, solta o espírito puro do experimentalismo, que atinge o seu auge quando os italianos Ninos du Brazil, se apresentarem em palco com os seus bombos e abrindo o caminho para o delírio de noise, batucada, samba e electrónica. Este ano é tempo para apresentar o espectáculo audiovisual do sueco Peder Mannerfelt, também conhecido como The Subliminal Kid, um dos mais prolíficos e originais produtores escandinavos.

O bilhete geral custa 85 euros e é válido para os 3 dias do Festival e inclui o acesso ao Parque de Campismo. Encontra-se à venda online e nos locais habituais.

A lotação diária máxima é de 5000 pessoas dadas as dimensões do espaço, delimitado pelas muralhas do castelo.

Deixar uma resposta