3ª edição do Festival ao Largo anima noites do Chiado durante um mês

De 30 Junho a 31 de Julho vai decorrer a 3ª edição do Festival ao Largo, sempre às 22h00, no Largo do Teatro de São Carlos, em Lisboa,. Este ano o festival vai ter 19 espectáculos de música sinfónica, coral – sinfónica e dança, todos com entrada gratuita.

Do programa deste ano fazem parte atuações da Orquestra Residente,  Orquestra Sinfónica Portuguesa, Orquestra Gulbenkian e a Orquestra Metropolitana de Lisboa, e de vários cantores líricos portugueses, tais como Jorge Vaz de Carvalho (barítono), Mário João Alves (tenor), Susana Gaspar (soprano) e João Fernandes (baixo), entre outros.

No largo de S. Carlos vão ser ouvidas peças de Mozart, Dvorák, Bizet, Strauss, Verdi, Rossini, Tchaikovski ou Donizetti, que fazem parte da seleção do “Ciclo de Música”, que este ano conta com direcção musical dos maestros britânicos Martin André (director artístico do São Carlos) e Julia Jones, os portugueses Pedro Neves e Cesário Costa, o austríaco Peter Guth e o italiano Giovanni Andreoli.

Na noite Músicas do Mundo, o destaque vai para o Canto Harmónico, a 4 e 5 de Julho, em que o “Ensemble Tuva”, oriundo da república russa de Tuva, apresenta um programa de canções tradicionais compostas por várias tonalidades vocais, acompanhados por instrumentos típicos.

Nas noites dedicadas à temática “Diálogos, Pianos & Percussão” – uma proposta musical que reúne quatro pianistas de renome internacional – Mário Laginha com Bernardo Sassetti e Artur Pizarro com Vita Panomariovaite – acompanhados por dois percussionistas de excepção: Elizabeth Davis e Pedro Carneiro, vai ser apresentada em estreia absoluta, numa encomenda para este Festival, a peça Percussionistas IV – O regresso de Mário Laginha e Bernardo Sassetti, e na segunda parte será interpretada a Sonata para dois pianos e percussão de Bela Bartók, a 13 e 14 de Julho.

Nas noites de 16 e 17 de Julho, a dança é a rainha, na iniciativa“Venha dançar a valsa no Largo de São Carlos!” – com o maestro austríaco Peter Guth a dirigir a Orquestra Sinfónica Portuguesa na interpretação de conhecidas valsas e polcas da família Strauss.

A Companhia Nacional de Bailado apresenta dois espetáculos da recente temporada. O primeiro é uma obra co-criada por nove coreógrafos portugueses acompanhados ao piano por Bernardo Sassetti e o segundo é a Noite de Ronda, da autoria de Olga Roriz e que tem as honras de encerramento desta edição do festival.

A produção está a cargo do Opart e volta a contar com o apoio  do Turismo de Portugal.

Texto de Clara Inácio
Foto gentilmente cedida pela organização do Festival

Deixar uma resposta