20 anos de ModaLisboa In Love

Reportagem por Margarida Vieira Louro (texto) e Sara Santos (fotos)

A ModaLisboa celebrou 20 anos, desta vez o sob o signo do Amor e desafiou mais uma vez os criadores nacionais. O Pátio da Galé e o Mude – museu de Design e da Moda foram os espaços escolhidos para mais uma FashionWeek em Português. A este evento associaram-se marcas e artistas de várias áreas, que enriquecem ano após ano as edições ModaLisboa lançando e dando a conhecer o melhor que se faz em Portugal, por portugueses.

O Mude associou-se ao evento com várias exposições em que se destacou o ecléctico conjunto de fotógrafos designers e artistas que quiseram comemorar os 20 anos ModaLisboa com amor, criando através das suas obras um discurso multidisciplinar e uma dinâmica abrangendo vários sectores da indústria da moda.

No LAB foi possível assistir a desfiles e a lançamentos de novos criadores como “Os Burgueses ”, a reafirmação de Ricardo Andrez e a presença da consagrada Lidija Kolovrat que aceitou o desafio de representar a contemporaneidade como forma de expressão.

O Pátio da Galé, foi por si só o espaço onde tudo aconteceu. No átrio principal o Main Sponsor “Seat” exibia de forma ostensiva a sua nova jóia da coroa o Seat Exeo ST, cinza prata, procurando dar a conhecer a sua nova aposta que associa a última tecnologia ao design elegante.

A L’ oreal apostou na inovação e arriscou numa campanha interactiva que encantou muitos dos convidados, através de uma aplicação interactiva o cliente experimenta o estilo de cabelo que pretende antes do profissional efectuar a mudança definitiva. Esta aplicação aplicação está disponível no cabeleireiro Marisa Cruz

Com auxílio de dois fotógrafos foi possível ver in locco a transformação de alguns convidados que afirmaram querer repetir a experiência. Lançaram ainda um desafio na sua página do Facebook, onde os clientes podem ganhar prémios da marca.

A Dyrup com Amor podia ser o tema daquela que pintou e arrebatou o público da Moda Lisboa com ousadia. Os vermelhos os negros e os brancos foram os tons escolhidos pela Dyrup para se associarem a estes 20 anos da ModaLisboa através de uma imagem especialmente concebida para o evento. Os leques negros com tons prateados fizeram as delícias de quem quis registar a sua presença com os fotógrafos que após os desfiles disponibilizavam as fotografias aos convidados. Na parede pintada com as tintas da marca que bem poderia ser a parede a Fama.

O Altis transportou-nos para o encanto e o bem receber dos seus espaços espalhados pelo País, no entanto a etiqueta diz que se devem servir pastéis de nata em Lisboa, lembrando os míticos pasteis de Belém tão conhecidos e reconhecidos em todos o mundo. Foi com deliciosos os cocktail´s e os saborosos pastéis de nata que os convidados aguardaram ou nos espaço convívio, ou desfilando pelas ante-camaras, onde a Luso Impress emprestou os seus suportes gráficos para que os fotógrafos convidados pudessem dar os parabéns à ModaLisboa. Como magia as altas paredes brancas do espaço ganham cor e alegria, tornando muito mais agradável o espaço onde público aguardava pelos desfiles de Moda.

Em destaque na sexta-feira

Luis Buchinho apostou na inspiração náutica sem esquecer a casual sofisticado que é desde sempre a sua imagem de marca.

As simetrias são o design escolhido para o próximo Outono –Inverno, com um toque confortável as saias longas, minis ou midi e as calças estreiras são a formula mágica que Luís Buchinho, usou para realçar a feminilidade da Mulher Portuguesa.

Os tecidos escolhidos por Buchinho foram as flanelas de lã, crepe de lã, crepe strech, rendas, cabedal, peles e malhas tricotadas, a paleta de cores passa pela Branco, preto, azul, vermelho e bordeaux. Aguarda-se uma nova estação bem colorida contrastando com os dias cinzentos.

O tema da colecção de Katty Xiomara foi a Ilusão. Inspirada na frase de Óscar Wilde” A ilusão é o primeiro de todos os prazeres”.

Os tecidos brilhantes, as transparências e o jogo de sobreposições foram a carta na manga de Xiomara que escolheu o preto, a malva, o cinza pós e o falso branco para realçar esta Ilusão.

Ana Salazar despensa apresentações presente desde a primeira Moda Lisboa apresenta a sua colecção Protection. A coreografia utilizada foi forte e distinguiu-se pela ousadia cénica dasmanequins que interpretaram o papel de guerreiras do novo milénio. Os sons deixaram o público expectante que à media luz assistia à aparente inércia das guerreiras.

Quando as luzes se acenderam uma explosão de cor e um ambiente de protecção e conforto, os tecidos brilhantes prateados fazendo lembrar a limalha de Joana D´Arc e a ousadia do vermelho sangue com aplicações em metal, o negro chique e rebelde o verde musgo e o castanho carvalho em opções mais campestres as sugestões são dinâmicas e criativas donas de uma simplicidade típica de Ana Salazar.

As lãs, os feltros, o sablé, mousselines, couros, tecidos brilhantes e acabamentos metálicos são drapeados, as pregas em saias longas, os ponches, as golas altas e largas os acessórios como os cintos e as luvas tornam esta vertente da colecção uma  aposta segura na feminilidade e do conforto que constrata um pouco com a rebeldia   do cabedal negro e vermelho sangue,  com aplicações prateadas e douradas assim como os tecidos manchados e brilhantes serão uma aposta mais dinâmica, jovem e descontraída. A silhueta da mulher na colecção Protection será sempre a estrela.

Deixar uma resposta