«A Paixão de S. Julião Hospitaleiro» junta tragédia e hip-hop no S. Luiz

A Paixão de S. Julião Hospitaleiro inspira-se numa história escrita no século XIX por Gustave Flaubert. O espectáculo encenado por António Pires mistura elementos da tragédia clássica com dança hip-hop e estreia esta quinta-feira no Teatro S. Luiz, em Lisboa. Com adaptação de Maria João Cruz, esta nova peça conta com as actuações de Maria Rueff, David Almeida, Graciano Dias, Maya Booth, Mitó Mendes e Marcello Urgeghe. O espectáculo contará ainda com cenário de João Mendes Ribeiro e vídeo de João Botelho.

A peça pega nos elementos da tragédia clássica para ampliar o sofrimento de Julião, o protagonista interpretado pelo actor Graciano Dias, que apesar da inevitável fatalidade que lhe foi destinada é amparado por uma força transcendente.

Segundo um conto litúrgico, os pescadores de Ruão mandam, agradecidos por qualquer boaventura, erguer vitrais na Catedral da cidade, onde retratam a vida de São Julião Hospitaleiro. Nesse vitral, séculos mais tarde, Gustave Flaubert encontra a matéria para escrever um conto, impregnado de um ambiente mágico e negro, de parricídio e de medo.

É a partir desta obra (e tudo o que a precede), que António Pires constrói um espectáculo onde se conta a história de São Julião Hospitaleiro, um homem que nasceu príncipe e a quem foi fadado um destino com tanto de grandioso, como de trágico. Embriagado pela vertigem da caça, enquanto jovem, Julião encontra, apenas, satisfação no sangue derramado dos animais vivos. O confronto com os seus terríveis actos e a dura constatação de que estes o precipitam para o cumprimento de uma negra profecia, levam Julião a abandonar família e terra. Foge, seguindo um caminho que, crê piamente, o conseguirá manter distante e protegido do seu fado mas que, inevitavelmente, o levará ao ponto exacto a que pretende escapar: a morte de quem o fez nascer. É nesta luta, de um homem contra o seu próprio destino – tema transversal aos textos anteriormente trabalhados por António Pires –, que Julião se faz santo.

Com música ao vivo e com dança hip-hop, A Paixão de São Julião Hospitaleiro está em cena no Teatro Municipal São Luiz até 23 de Janeiro, de quarta-feira a sábado às 21h00 e aos domingos às 17h30.

Os bilhetes custam entre 10 e 20 euros, havendo os havituais descontos para menores de 30 anos (o espectáculo é dirigido a maiores de 12 anos).

Texto de Cristina Alves

Deixar uma resposta